O surto da doença no Brasil neste ano levantou questões e dúvidas na população. Para ajudar a esclarecer todas elas, convidamos a Dra. Larissa Mezerhane da Silva, Cardiologista Pediátrica da PrimaCordis, para falar sobre o assunto:

Pergunta: O que é o sarampo?

Dra. Larissa Mezerhane – É uma doença infectocontagiosa grave, causada por um vírus. Ou seja, ela é um tipo de virose.

Pergunta: Como é transmitido o sarampo?

Dra. Larissa Mezerhane – O Sarampo é transmitido de uma pessoa para outra, por meio das secreções do nariz e da boca expelidas ao tossir, respirar ou falar, normalmente o período de transmissão é de 4 a 6 dias antes e após a aparição das manchas na pele.

Pergunta: Como é feito o diagnóstico?

Dra. Larissa Mezerhane – Geralmente, a doença é antecedida por sintomas comuns como em qualquer quadro viral, durando de três a cinco dias, sendo eles:

  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Coriza;
  • Conjuntivite;
  • Tosse;
  • Falta de apetite.

No fim desse período, podem aparecer as manchas de Koplik, que são lesões pequenas, discretamente elevadas, de cor branca, localizadas na região interna da mucosa oral (bochechas), ao nível dos dentes pré-molares. Tem duração de um a três dias e desaparece logo após o surgimento das manchas vermelhas.

As manchas vermelhas na pele começam atrás da orelha e se espalham para a face, pescoço, membros superiores, tronco e membros inferiores. Pode durar 4 a 7 dias, em geral, pelo terceiro dia, as manchas na pele e a febre diminuem e desaparecem, apresentando uma descamação fina em seguida, mas caso a febre persista, este pode ser um sinal de complicação e gravidade da doença.

O diagnóstico é clinico. O diagnóstico laboratorial é realizado por meio da sorologia, para detecção de anticorpos específicos do vírus.

Pergunta: Quais são as complicações?

Dra. Larissa Mezerhane – Em geral as complicações são causadas por outras infecções bacterianas ou virais, podem ser:

Otite média aguda, Pneumonia bacteriana, Laringite e laringotraqueíte, Doenças cardíacas, entre outras. Existe também uma complicação rara, tardia, chamada panencefalite esclerosante subaguda, que acontece anos após a doença.

Pergunta: O sarampo pode deixar alguma sequela? Em caso positivo, quais?

Dra. Larissa Mezerhane – O Sarampo em si não costuma deixar sequelas, porém, as complicações, de acordo com o Ministério da Saúde, podem deixar sequelas graves, como: cegueira, surdez, problemas no crescimento e desenvolvimento, físico e mental.

Pergunta: Quais são as formas de se prevenir?

Dra. Larissa Mezerhane – A melhor forma de prevenir o Sarampo é pela vacina, é um método seguro e muito eficaz.

Pergunta: Como é o tratamento?

Dra. Larissa Mezerhane – O tratamento é baseado em medicações que amenizam a sintomatologia. Com frequência podem ser usados, antitérmicos, analgésicos, antieméticos, hidratação oral, higiene adequada dos olhos, pele e vias aéreas superiores.

As complicações são tratadas especificamente de acordo com cada quadro, lembrando sempre que a automedicação é contraindicada, devendo-se sempre procurar atendimento médico

Pergunta: Sobre a vacina, qual é a eficácia dela?

Dra. Larissa Mezerhane – A vacina é muito eficaz e segura, é composta por três vírus enfraquecidos, albumina, aminoácidos, proteínas, sulfato de neomicina, sorbitol e gelatina, segundo o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Imunização.

Sendo as disponíveis:

  • Tríplice viral: Contra sarampo, caxumba e rubéola. Pode ser aplicada dos 9 meses de idade até idosos.
  • Tetra- viral: Contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Pode ser aplicada dos 9 meses de idade até 14 anos.

Pergunta: Quando a Vacina deve ser aplicada?

Dra. Larissa Mezerhane – As doses são:

  • Dose zero: Devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).
  • Primeira dose: Crianças que completarem 12 meses.
  • Segunda dose: Aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.

Para adultos:

Tomou apenas uma dose até os 29 anos de idade:

  • Recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina.

Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra?

  • De 1 a 29 anos – São necessárias duas doses.
  • De 30 a 49 anos – Apenas uma dose.

Pergunta: Quem não pode ser vacinado?

Dra. Larissa Mezerhane – Alguns componentes da vacina podem causar reações alérgicas em pessoas predispostas. Uma das vacinas da rede pública contém traços de lactoalbumina (uma proteína do leite de vaca), com isso, as pessoas alérgicas a algum componente devem procurar atendimento antes da vacina. Já aqueles com alergia grave ao leite de vaca, não devem receber a vacina tríplice viral, que contém os traços de lactoalbumina.

Para grávidas e imunossuprimidos ela também é contraindicada. Mulher em período fértil deve aguardar de 1 a 3 meses após a vacina para engravidar.

LEMBRE-SE: O sarampo era uma doença considerada erradicada do país desde 2016, quando a Organização Mundial da Saúde identificou que o país estava há um ano sem registro de casos do vírus. No entanto, isso mudou esse ano, devido à falta de vacinação. Então, vamos vacinar e voltar a tornar o Brasil um país seguro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu